Blog

Benefícios Intermediários da implementação de um Sistema de Custos

fornecimento de informações para controle das operações, tomada de decisão, priorização de investimentos e determinação de padrões de referência entre processos. O que não é tão claro para os gestores, no entanto, são os benefícios potenciais ao longo da implementação de um sistema de custeio. Ficou curioso? Quer saber quais os pontos de melhoria que podem ser identificados durante essa implementação? A gente te mostra!

Compreenda seus Processos Operacionais e de Apoio 

Para a modelagem do sistema, é preciso estratificar todos os processos e atividades da empresa, entender quais são seus recursos e qual é o objeto final da operação. Muitas vezes essa estratificação não existe de forma consolidada na empresa, e essa discussão se mostra de grande importância para a gestão.

Relação Atividades vs Processos

Uma vez entendidos os processos e atividades da empresa, é preciso entender como eles se relacionam. Um balanceamento adequado entre atividades é necessário para que haja um fluxo contínuo na operação da empresa como um todo. Por meio desse relacionamento, é possível, também, identificar quem são os clientes internos da empresa e redesenhar os processos tendo em vista a melhor utilização dos recursos.

Demanda por bases de dados automatizadas

Para alimentar o sistema de custos com informações, é necessário que existam bases de dados que mensurem as atividades realizadas. Um controle manual exigiria que, mensalmente, as áreas informassem tudo o que realizaram no período, o que inviabiliza a atualização do sistema. Ao discutir as atividades da empresa para a implementação do sistema, percebe-se as atividades com mensuração manual, e surge a demanda para automatização do controle dessas.

Padronização

A padronização é essencial nas empresas para que haja um maior controle dos processos. Ao trabalhar com bases de dados, é conveniente que elas sejam estruturadas com alguma padronização, pois facilitam sua interpretação e a utilização das informações. Além disso, a determinação de padrões garante que as áreas utilizem as mesmas notações e registrem a informação da mesma forma.

Identificação de redundâncias

Em grandes empresas, é normal que existam, dentro de diferentes setores, as mesmas atividades. Durante a modelagem da empresa, esses pontos são identificados, gerando a discussão de avaliar a real necessidade dessas atividades e a possibilidade de consolidação dessas. Outro exemplo, ainda, é quando existem diversos sistemas que contêm a mesma informação, tornando difícil a sua atualização e gerando volume desnecessário no banco de dados da empresa.

Formalização de demandas

É comum nas empresas a prestação interna de serviços entre setores. Ao modelar um sistema de custeio, muitas vezes percebe-se que as demandas chegam às áreas por meio de canais informais, como telefone ou e-mail. Para a mensuração dessas atividades e identificação de quem demandou, é preciso que as requisições estejam formalizadas e automatizadas, de forma que um relatório demonstre os pedidos do período.

Atualização dos sistemas da empresa

Por último, de nada adianta o esforço e a mobilização da equipe em modelar um sistema de custos se as informações não estiverem atualizadas e condizentes com a realidade do período. Logo, um plano de atualização é estruturado durante a implementação para que as áreas informem constantemente as mudanças que ocorreram, criando uma rotina de atualização dos sistemas da empresa.

Quer identificar os custos da sua empresa e ainda contar com todos os benefícios citados acima para a sua organização? Fale com a gente para mais informações!

 

Elisa Oliveira Ballvé

compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp
Open chat
Posso ajudar?