Blog

Como a análise de investimentos para pequenas empresas pode ser vantajosa

O cenário econômico nacional enseja do empresário a necessidade de buscar oportunidades de negócio que visem trazer segurança e retorno financeiro positivo para a organização. Nesse sentido, a análise de investimentos para pequenas empresas é uma solução interessante, uma vez que envolve estratégias de aplicações de recursos com o objetivo de propiciar um planejamento e o retorno adequado do capital.

Neste artigo, você entenderá melhor o que é e como funciona a análise de investimentos, identificando, por exemplo, como ela ajuda a encontrar a melhora forma de investir, reduzindo os riscos da operação. Se você quer garantir a segurança das finanças do seu negócio, investindo de forma inteligente, continue a leitura deste post e descubra como a análise de investimentos pode te ajudar. Confira!

O que é a análise de investimentos?

A análise de investimentos é uma estratégia utilizada com o objetivo de verificar se um determinado investimento tem chances de trazer retornos financeiros para o negócio, levando em consideração os riscos envolvidos e a situação geral da empresa.

Dessa forma, a análise utiliza alguns indicadores que são calculados a partir de fluxos de caixa futuros e custos de oportunidade no momento de tomada da decisão. Considera-se que o custo de oportunidade é uma métrica que mede o custo de escolher entre uma opção ao invés de outra.

Como ela é desenvolvida?

A realização de uma análise de investimentos para pequenas empresas começa com a análise da viabilidade econômica do negócio. Para isso, o empresário precisa conhecer todos os números da empresa e os valores que serão investidos.

Além disso, é imprescindível ter informações sobre o mercado de atuação da companhia, já que isso ajudará a compreender melhor as estratégias adotadas que funcionarão dentro da realidade do negócio.

Com essas duas informações muito bem delineadas, é preciso partir para uma tarefa mais prática: a elaboração de um fluxo de caixa com projeções de ganhos, investimentos e eventuais perdas. Neste momento, também é necessário definir a taxa mínima de atratividades (TMA) e avaliar os riscos de sucesso ou fracasso do investimento.

Nesse aspecto, é importante destacar que o fluxo de caixa costuma ser um fator determinante no processo decisório das pequenas e médias empresas, tendo em vista que ele traz informações concretas e relevantes sobre a situação financeira da corporação, auxiliando no processo de planejamento do negócio.

Nesse sentido, há três métodos mais comuns para a análise de investimentos, sobre os quais trataremos a seguir.

Quais são os principais conceitos e as ferramentas envolvidos na AI?

Quando se fala em análise de investimentos para pequenas empresas, é necessário ter em mente quatro conceitos básicos: PayBack (tempo de retorno de investimento), Valor Presente Líquido, Taxa Interna de Retorno e Taxa Mínima de Atratividade. Entenda um pouco mais o conceito e a aplicação de cada uma delas.

Valor Presente Líquido (VPL)

O VPL é uma técnica sofisticada de análise de orçamentos de capital. Na prática, ela desconta os fluxos de caixa da empresa a uma taxa específica, chamada de taxa de desconto, custo de capital ou custo de oportunidade.

Dessa maneira, para chegar ao valor presente líquido é necessário ter uma definição prévia da taxa de desconto que será utilizada nos fluxos de caixa.

Sendo assim, o VPL é uma fórmula que permite determinar qual é o valor presente de pagamentos futuros, descontando-se uma taxa de juros, tendo reduzido o custo de investimento inicial. Trata-se, dessa forma,  de um cálculo de quanto os futuros pagamentos, acrescidos a um custo inicial, valem no presente.

Taxa Mínima de Atratividade (TMA)

A TMA é a taxa pela qual os fluxos futuros serão descontados e que, portanto, ajuda a entender se o investimento é realmente vantajoso para a empresa. Essa taxa é formada por três conceitos básicos: o custo de oportunidade, o risco do negócio e a liquidez.

O custo de oportunidade ajuda a entender qual seria a remuneração obtida em alternativas não analisadas, como se o empresário optasse por investir o capital em um Certificado de Depósito Bancário, por exemplo.

O risco de negócio é uma informação que ajuda a compreender se o ganho é suficiente para remunerar o risco inerente. Por exemplo, ao comprar uma máquina para a empresa, é necessário avaliar o impacto desta compra para a organização.

Já a liquidez trata da capacidade de sair de uma posição no mercado para assumir outra, ou seja, é a possibilidade de avaliar a capacidade e o tempo para transformar um ativo em capital.

Vale destacar que, ao utilizar a TMA  para análise da viabilidade financeira de um investimento, é necessário aplicar metodologias de comparação com relação a um determinado período de tempo.

Taxa Interna de Retorno (TIR)

A TIR é a técnica mais difundida na avaliação de investimentos, que se conceitua como sendo a taxa de desconto que iguala o investimento inicial ao valor presente das entradas de caixa.

Nesse sentido, a TIR iguala o valor de um investimento (valor presente) com os seus retornos futuros, ou ainda com saldos de caixa gerados em determinado período. Em termos práticos, a TIR informa qual o retorno que o investimento é capaz de gerar. Seu valor pode ser comparado ao da TMA.

Tempo de Retorno do Investimento (payback)

O payback é o chamado período de recuperação do investimento, ou seja, o tempo decorrido entre o investimento inicial e o momento em que o lucro líquido acumulado iguala-se ao valor do investimento.

Ele pode ser nominal, se for calculado com base no fluxo de caixa com valores nominais, ou presente líquido, se calculado com base no fluxo de caixa com valores trazidos ao presente líquido.

Todo projeto de investimento tem inicialmente um período de despesas seguido de um período de receitas líquidas. Nesse sentido, as receitas recuperam o capital investido. O período de tempo necessário para que as receitas recuperam a despesa em investimento é chamado de período de recuperação.

Assim, se o período de payback for menor que o período máximo aceitável de recuperação, o projeto será vantajoso, mas, se o período for maior que o período máximo aceitável de recuperação, o projeto será desvantajoso.

Como você pode ver, a análise de investimentos para pequenas empresas é uma estratégia interessante para quem busca melhorar o desempenho da sua gestão financeira. Ele traz dados importantes na organização, no planejamento e no processo de decisão acerca de investimentos que podem realmente contribuir para o crescimento da organização.

Você quer analisar os investimentos da sua empresa? Então, entre em contato com a Parametrus Assessoria Empresarial e descubra como podemos ajudar na gestão financeira do seu negócio.

compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp
Open chat
Posso ajudar?